1 de fevereiro de 2016

.

Noiva de Carnaval


E lá vem ele, determinando o começo oficial do ano. Ah, o Carnaval... Não, não, nada de polêmicas hoje. Sem denegrir o paradeiro da nação - tá bom, eu sei, já ironizei, a chata, né? Sai fora. Nada de chatices, de vdd!!!! Não sou tão ranzinza com feriados, depois de ser mãe. Atualmente, aproveito muito o tempo ao lado de nossa Nunu, que, aliás, está crescendo e, logo logo, é ela quem não desejará nossa companhia nos carnavais. Vou aproveitar, enquanto rola!!!!

Mas. Maaaaaaaaaas... uma coisa é fato: mega a fim de trabalhar, enquanto todos se divertem. Aliás, particularidade absoluta, né? Não existe profissional de evento (não deveria existir, pelo menos) sem uma satisfação giga em ver todos se divertindo, enquanto vc trabalha. O caso é: será que tem alguma noiva maluca, aí, interessada em agendar visita em pleno carnaval??? Então, acho que não, né?! Isso é coisa só para a doidaça aqui.

Enfim, galera, tô na área! Quem desejar aproveitar esta época para contratar cerimonial mega merece algum presentinho. Algum desconto especial, além do usual, quem sabe... É, acho que não tem nada melhor que desconto. Pessoalmente, a gente conversa melhor, ok, noivita?! Presente duplo, a noiva me permitindo fazer o que gosto e eu permitindo melhor condição para Fabricar o casório dela. Se rolar alguma maluquete, volto depois para contar!!!! 


23 de janeiro de 2016

Batizado Henrique

Cinco anos atrás, comemorávamos o casamento de Luísa e Guilherme. Cerca de 7 anos atrás, o privilégio de conhecê-los, vê-los entrar em minha vida. "Tem gente que (REALMENTE) veio pra ficar". Cada vez que digo privilégio e acontece com frequência no bloguito, procuro fazer como manifestação de gratidão. Fácil demais agradecer quando se tem um mooonte de tutucas e tutucos (apelido que surgiu com nossa matriarca abençoada, Taísa).

Henrique é anjo por natureza. Bebês são anjinhos da Terra que preenchem espaços em nossos corações. Espaços que nem sabíamos que existiam. Espaços que florescem, transbordam amor, exalam nossa mais genuína entrega, extraem o melhor de nós, liberam a mais incrível e gigante onda de felicidade em nossas vidas. Henrique são os pais ali. Os dois concretizados e, assim sendo, vindo com essa carga genética e energética, só podia ser anjo abençoado!

Como escrever mais uma vez sobre essa família sem redundâncias? Impossível! Mas, qual o problema de redundar amor??? Zero problema. Um milhão alegria! Esse é o cálculo. Carinhosos, de rara educação. Atitudes que evidenciam o nós, que enxergam o outro. Quem faz isso hj em dia, num mundo onde EU sou o centro e o resto que se exploda? Eles fazem. Guilherme e Luísa com seus berços sensacionais. Esperança de perpetuação de um mundo melhor. Mais nobre e gentil. Certeza de que Henrique carregará traços de gentleman, como de seu pai, e da sua lady mamãe Lu, estendendo a ideia de nobreza de alma, de polidez, de um primeiro mundo que não conhecemos muito  em nossa realidade.

Eles me emocionam e não imaginam o tanto. Eles me inspiram. Eles me dão exemplos. Eles são modelos do que devemos ser. Eles são bravos lutadores, conquistam espaço e dignidade a cada instante através de muuuuuuuuito trabalho, empenho e luta. Criam seu "berço explêndido", onde dizem que já nascemos deitados, ah tá!!!! Nós que não lutamos, não, para ver... E eles são guerreiros incansáveis, gente que prospera e dignifica, orgulho e inspiração!

Amores! Amores que a vida me deu. O lado bom de viver, o lado bom de ser. "No meio do caminho, havia Tutucos. Havia Tutucos no meio do caminho". Vieram me fazer mais feliz. Uma história que me traz a audácia de me sentir meio da família (desculpem o abuso!). A família do coração que a vida me deu de presente. Como sempre digo à minha Nunu, minha única filha Nunu - "os irmãos que a vida te deu" (uma verdade criada para consolar Nunu sendo única). Vocês são meus irmãos da vida. Não precisa de sangue, quando o laço é dessa fortaleza. Sim, é isso mesmo. Para Nunu, para mim, para todos. NÃO PRECISA DE SANGUE, QUANDO O LAÇO É DESSA FORTALEZA...

Fotos: Vanessa Gori



21 de janeiro de 2016

Papo Reto

Daí, o profissional x denuncia à noiva a cobrança de comissão praticada pelo espaço tal. Eu ligo para dar força e apoio. E para agradecer, afinal, tb fiquei sabendo da prática, já que não vou a esse espaço faz tempo e nem conheço o atual responsável nem a política lá empreendida. Parabéns, vcs foram corajosos, vcs não precisam disso, não aceitem mesmo.

A pessoa responde que o proprietário da empresa denunciante vai colocar panos quentes e vai pagar para resolver a questão sem maiores alardes. Ainda vira para mim, quando afirmei que não pago e não cobro e diz: "AH, PARA VOCÊ É MAIS FÁCIL". 

Hein????? O q????

Desanimo neste instante e quase choro... Quer dizer que para vc não é fácil ser honesto, certo? Mais fácil ser o corrompido da história!!!! Seu serviço é prestado nesse mesmo parâmetro de honestidade???? Com essa dificuldade toda em seguir os passos corretos? Socorro!!!! 

Ok, vai nessa!!!!

Sacolinha esse negócio de levantar bandeira o tempo todo nesse meio. Não aguento mais encher o bloguito desses posts chatos. Tô cansada... Mas, vamo que vamo, luto até o fim! Sacola ter ouvir uma besteira desse tamanho. Mais sacola ainda o elogio de "AI, Q GRACINHA, COMO VC É UMA GRACINHA". Oi???? Meleca de gracinha nenhuma e dispenso o elogio, aja com postura!!!! Gracinha, no sentido mais irônico de todos, é essa palhaçada que vcs alimentam. Gracinha... hum... vem com essa... O espaço ganhou a noiva pelo valor praticado. Daí, elimina o coitado concorrente que cobra mais. O q ocorre? O espaço consegue compensar o baixo valor e acaba ganhando igual ou até mais que o colega que cobrava o valor justo sem angariar por fora. Vivo isso o tempo todo com um monte de cerimonial baratinho.

Seu conivente. Ainda me vem com essa de "TODO MUNDO PAGA". EU NÃO SOU TODO MUNDO!!!!!!!!!!!

"Para vc é mais fácil", faz-me rir, devia ter encerrado o papo aí!!!! Noivas, todas as noivas, todos os clientes de festas, ATENÇÃO: entendam o barato do mercado. Entendam com a razão. Com o raciocínio. O BARATO TEM ALGUMA RAZÃO DE SER BARATO!!!!! AS DIFERENÇAS DE VALORES COSTUMAM SER JUSTIFICÁVEIS. Compreenda a razão daquele preço e vejam quanto ele pode custar (no sentido de quanto ele vale de fato e de quanto ele pode custar a vc). Quantos Terezas Cavalcantis precisarão existir para a compreensão ser exata? 

Já que tem que levantar bandeira o tempo todo, que seja com força e com muito amor no AR (A de Alex e R de Rejane, ownnnnnnnn!!!!). Vamos terminar com fofuras, que é disso que eu gosto!!!!!




18 de janeiro de 2016

Cecília e Eduardo

Eles chegaram e eram dois fofos, educadíssimos, desses com quem a gente, antes de dizer "oi, tudo bem!", diz "desculpe-me qq coisa", tamanha gentileza. Não foi apenas uma primeira impressão, foi assim em toda trajetória. Um poço de educação, simpatia, doçura, gentileza. Uma alegria estar ao lado de Cecília e Eduardo. 

Dia desses, minha mãe disse que não sabe como eu consigo escrever tantas vezes a tantas noivas. Fácil! Cada casal, uma história, cada casal, uma alegria, cada casal, um novo vocabulário, cada casal, seus próprios adjetivos. Páginas que se escrevem com fluência, carinho e leveza. Relações intensas que só se firmam com nossa política de presença constante junto aos noivitos, exclusividade de data, prioridade à qualidade em lugar do volume. Tudo em busca do especial, do precioso, do único. Uma jornada que me privilegia com queridocas e queridocos tipo Cecília e Eduardo. 

Não bastasse o jeitinho mais fofo do mundo, outra delícia foi ver a Cecília emocionada. Gargalhada pura, risada sem fim. Além de ser simpática o tempo todo, ainda é daquelas que riem quando ficam nervosas. Imaginem que trem de outro mundo a noiva chegando à igreja e gargalhando, descendo do carro, vestido embolando no sapato e risada, subindo os degraus da igreja e barulhinho bom de risada o tempo inteiro. Foi lindo de ver, delicioso de ouvir e foi show viver para contar por aqui.

Tudo isso e a honra não terminava ali. Casório lotaaaaaado de outras noivitas (Cecília, Rhaissa, Mariana, Gabriella, Nathália, eita nóis!!!!! minhas flores todas ali) , de cantos variados. Dia cheio de abraços, dia de receber a melhor energia, dia de carinho, dia de memórias. Sem dúvida nenhuma, não haveria melhor maneira de iniciar um ano. Um ano que promete ser pesado me oferecendo a oportunidade de iniciar com tanta leveza. Obrigada por esse presentão, Cecília e Eduardo. Vocês ofereceram ânimo, luz, alegria e esperança - que permaneça com tudo como veio, mundão de casórios de 2016!!!! Encha minha vida de Cecílias e Eduardos, por fv!!!!!

Acho que já disse, mas repito: sensacional, Lutterbach Fotografia Autoral, acordar segunda-feira, já com o sabor do findi que mal acabou!!!! Obrigada por proporcionar: http://facebook.com/LutterbachFotografiaAutoral












14 de janeiro de 2016

Apaixonados



Eu descobri que gosto mesmo é de pessoa apaixonada. Não o apaixonado vaidoso, tipo como sou O cara, o vaidoso extremo. Mas, o apaixonado pelo projeto, que se entrega, que faz com amor. Sensacional como essas pessoas se focam no alvo, no resultado que aquela paixão vai trazer em si e não nos rendimentos. Talvez por isso o apaixonado não seja, necessariamente, o q tem mais $ no bolso. Inclusive, acho que, bem frequentemente, não é o do bolso cheio. Por amor, ele abre mão da abundância, se preciso for. O apaixonado se foca, quer mais exclusividade, o outro se torna O outro e não UM outro. Ele não quer larga escala. Ele não se orgulha de 2, 3, 4, 8 eventos num só fim de semana (sacou??? #ficaadica).

O apaixonado age por seu coração. O que implica em não se vender, já que a propina mancharia o projeto (sacou de novo??? #ficaadica de novo). O apaixonado curte e acredita que tudo aquilo que ele faz é bem feito, é feito da melhor forma. E se preocupa consigo mesmo, se deu o melhor de si, se o resultado foi o desejado a ele e a seu contratante e não o resultado da competição, comparado com fulano de tal, com beltrano de tal, tipo uma guerra (sacou outra vez??? #ficaadica mais uma vez). 

O apaixonado contrataria o seu próprio serviço, sem pensar duas vezes. O apaixonado capricha como se fosse seu. E entrega ao outro o seu trabalho com a alegria de doar um pedacinho do seu coração, é tipo isso. 

Andei pensando a respeito. Eu super acredito nas minhas palavras, eu as curto (só quem acredita nas próprias palavras para escrever "EU AS CURTO", aff, quem é q fala assim?), enfim, eu leria demais meu bloguito, mesmo se não fosse meu. E isso, apenas isso, me alimenta e me faz mantê-lo. Quem é que tem tempo ou prazer na leitura atualmente? Muuuuito pouca gente. Mas, o apaixonado não quer saber disso e esse é o caso. Adoro o bloguito, ele conta minha história e eu estaria entre os poucos leitores. Daí, já é, permaneço fiel alimentadora de posts. Mesma coisa com o cerimonial: eu acredito demais em mim como cerimonialista. Eu super me contrataria, eu super desejaria ser minha própria noiva. Muito mais pela paixão do que por me sentir a f... (ai, será que induzir palavrão me compromete???? deletem, vcs não leram isso, nada de f... substituam por uma palavra mais fofa). Aliás, no dia que eu me sentir essa aí do palavrão, por fv me aposentem!!! É que o objetivo já acabou. Todo trabalho, toda entrega, todo resultado, tudo sempre pode ser lapidado!!!! Nunca estarei pronta, e, sim, sempre estarei em busca. O famoso melhor que sempre está por vir! E, assim, permaneço feliz e fiel às minhas amadas noivitas. 

E que a vida de todos nós se encha de apaixonados. Ando encontrando alguns por aí e eles me fazem tão bem!!!! Desejo que os escassos e verdadeiros apaixonados se multipliquem cada vez mais, enfeitando nossas vidas com suas fortes e fortalecedoras energias vitais!!!! 

10 de janeiro de 2016

Sara e Miguel

Ela chegou. Atrasada desde o primeiro encontro. Mas, simpática, que me desarmava e eu, ali, a relevar meu lado britânico. Agradável. Prática. Não queria ouvir muito. Apenas verificar a confiança e afinidade. Não me exigiu muito, mesmo que eu quisesse oferecer um mundo de palavras e explanações. Hum-hum. A coisa ali era pá-pum. Deu tchau e eu senti que não a veria mais.

Sim, não é sempre, mas meu sexto sentido, em geral, é terrível. Mais falho, não há - ainda bem em certos casos, como da Sara. Os dias passaram e ela voltou. Outra vez atrasada. De novo, muuuito agradável e simpática. Novamente, driblou meu lado britânico e emplacou seu gol, afinal, o que são  uns atrasinhos em comparação a um monte de simpatia e mais um casal para Fabricar casório, construir, criar, tecer, elaborar, planejar, sonhar, desenhar com muito amor, muuuuuuito amor? Não havia problemas. Havia, sim, alegria, orgulho, entrega, sintonia, afinidade.

Com o convívio, outros adjetivos foram incorporados: gentil, alto-astral, de bom gosto, fofa, engraçada, devota de São José (o bom marido bíblico que trouxe o Miguel a pedido dela, eita história que me arrancou risadas!, kkk)... Leve! Sara é leve. Miguel tb é. Casal bacana. Dá gosto na gente!

Por fim, mais um casal a deixar saudade. Eu sempre vejo o privilégio de organizar casamentos como oportunidade de estar junto a pessoas num momento muito top de suas vidas. Permaneço com esse olhar! Mas, sem dúvida alguma, de uns tempos para cá, valorizo laços de saudades tanto quanto a honra de estar junto. Viver o momento é incrível. Mas, só se torna sensacional, se for capaz de deixar saudades! Sara e Miguel, vcs são PURA saudade!!!!

Foto: Klas Estudio