19 de setembro de 2014

Ana Luíza e Guilherme

AnaLu falou uma frase que traduziu perfeitamente: SÓ QUEM VIVEU ENTENDE O QUE FOI!!! Totalmente isso. Muito singular para pluralizarmos. Lugar inexplicável, clima de aconchego, conjunto com encanto maior do mundo. Sabe quando você vê e acha tão belo, tão belo, que não consegue parar de olhar, mesmo sabendo que sua postura excedeu, já perdeu a discrição, vc sabe que os outros estão até reparando? Pois é, o casório da AnaLu foi desses. Olhei e me encantei, olhei e achei perfeito, olhei e doeu a emoção do estômago por estar ali, olhei e achei bonito demais e olhei mais e quanto mais olhei mais bonito ainda achei. Olhei tudo, olhei o tempo todo, me encantei sem tamanho...

Minha história com AnaLu e Guilherme começou sem que nos déssemos conta. Links da vida e anjinhos a nos unirem. AnaLu pegou o bouquet num casamento que organizávamos uns anos antes. Coincidentemente, uma das meninas que trabalhavam comigo no dia, nossa querida Petra, conhecia a AnaLu e falou: QUANDO ELA SE CASAR, VOCÊ QUE VAI ORGANIZAR O CASAMENTO DELA, TENHO CERTEZA. Petra disse a ela e a mim também. A gente riu, se cumprimentou e ah, ok, que bom, é isso aí. E fim! Tempo vai, tempo vem e eis que a hora chega. Eu mal sabia o quanto precisaria agradecer à Petra, OBRIGADA PETRAAA!!! Certeza certa e delícia de certeza.

Bom humor e doçura, duas qualidades que me fascinam!!! AnaLu tem as duas. As duas em alta concentração, diga-se. Covinhas que surgem lindamente, mesmo após 48h de plantão e mesmo quando leva bolo inesperado em pleno sábado. Tom de voz que nos empurra ao melhor astral o tempo inteiro, porque, com ela, tudo parece sempre positivo, sempre bom, a vida é boa e fim, assim que funciona. E bom gosto, ah o bom gosto. Da escolha dos profissionais à escolha do vestido. Quanta saudade de vestido bordado, toooodo bordado, belo bordado, saudade de arte feita por mãos e só podem ser mãos de fadas a executarem um trabalho daquele!!! Casamento todo na base da arte. Arte da natureza, arte humana, arte pra todo lado. Borboletinhas, dezenas, centenas, milhares delas, feitas uma a uma por mãos de artistas, destaque imenso à Sônia nessa Borboletândia tão linda.

Daí, conheci Guilherme e era o mesmo temperamento. Eita, turma da melhor qualidade, eita trem bom de viver. 

Em geral, consigo explorar bem as palavras, consigo explicar o difícil, mas vivo hj uma super exceção. Porque SÓ QUEM VIVEU ENTENDE O QUE FOI. E, de fato, AnaLu e Guilherme, ESTAVA A  CARA (BOA) DE VOCÊS DOIS!!!! 

Fui feliz além da conta!!!

Fotos: Helena Leão