28 de novembro de 2016

Quando entrar dezembro

Aí, eu digo a mim mesma q, neste ano, tudo vai ser diferente. Não vou gostar de dezembro, 2016 não merece meu apreço. Não, neste ano, não. Não quero! Não gosto! Não vou!

Entro nas Lojas Americanas. Ouço jingles de Natal! Ai, hum... Gostei! Droga, droga, droga,mil vezes, droga, bad, bad, bad... Sai fora. Hum... não teve jeito. Gostei! #contaminada

Ok, me entreguei. Mais forte q eu. Gosto do cheiro, da renovação q dezembro me traz, gosto da tríade meu aniversário-Natal-aniversário do Alex. Férias da Manu. Foto da família com Papai Noel, presente q minha filhota me permite, mesmo no alto da sua pré-adolescência, ela compreende que é a infância da mãe com a lacuna da satisfação preenchida e a garantia do sorrisão bobo na cara. Impossível... não deu p mim, outra vez. Acabei me apaixonando pelo dezembro q nem chegou. Q seja feliz a todos nós! Esse divisor q traz outra alegria, o adeus a 2016. Sobrevivemos! Q venham tempos melhores a este país sofrido, pq sobreviver é missão, prefiro mesmo é VIVER!



16 de novembro de 2016

Alcançando a meta

Estabeleci uma meta para 2016. Não cair! Embora me sinta numa turbulência sem fim, num suor gélido q escorre face abaixo, estômago q vive embrulhado, ufa... alívio! Mantive mesma quantidade de eventos de 2015. Hipocrisia comemorar, 2015 já estava ruim, mas já diz o ditado, "nada tão ruim, q não possa piorar". Ok, sem pioras, o jeito é tratar com conformismo. 

Fato é q minha condição física me permite trabalhar mais. A emocional exige. Meu desejo é esse. Não quero a aflição de um fim de semana ocioso. Pensando nisso, eu me rendi. A meta para 2017 é subir degraus. Não quero ficar onde estou, descer, então, aff, nem cogito. Propósito? 5 contratos até virar o ano. Como conseguir? Infelizmente, negociando valores. Odeio meu sincericídio. E o mundo perfeito das redes, onde a crise nunca alcança os eventos e tá todo mundo sempre com a agenda lotada, rodando o mundo, fazendo eventos de destino, já que os planos ultrapassam BH afora??? Aff... detesto ser tão mundana... Minha realidade tão de carne e osso... Eu deveria querer alcances fenomenais e, sempre na contramão, só quero as maravilhosas preciosidades q BH pode me oferecer, com um só casório/dia... 

As datas livres de jan até jul de 2017 encontram-se passíveis de leilões até alcance da meta dos 5 contratos. Quer dar seu lance? Prometo estudar sua proposta! Venha ser meu presente de Natal. E de aniversário. E de aniversário do Alex tb. #euqueroehcasorio #enchendoaagenda




6 de novembro de 2016

Decoração Nathália e Tiago
By Eventus 

Da série ELOGIE!, a Paula (Eventus) merece seu reconhecimento e o envio das fotos do nosso mais recente casório em comum (Nath e Tiago - post q vem por aí) foi uma boa oportunidade para isso. Engraçado encontrar alguém q se parece com a gente. Algumas diferenças absurdas, mas um sem fim de afinidades e condutas absurdamente iguais. 

Ela fala muito, eu tb. Ela é bem cuidadosa, eu tb. Ela se engaja, eu tb. Ela adora a discrição, mais q eu (se alimento um blog, acabo me expondo e amo um overposting). Ela promete e cumpre, eu tb. Ela faz com amor, eu tb. Ela pensa primeiro na noiva, eu tb. Cada vírgula precisa estar em seu lugar, é o q ela pensa e faz, eu tb. Ela exige muito de si mesma, eu tb. A noiva dela sai feliz e a indica, a minha tb e esse é nosso maior prêmio! Ah, uma boa essa: no dia q sair o prêmio da noiva satisfeita, acho q eu, Paula e meia dúzia podemos comemorar, kkkk. Sorry, leitor, faltou humildade, mas é tt noiva reclamando de fornecedores, q a proporção é meio essa (opinião pessoal). Reclamação de cerimonial, então, pergunte às amigas casadas quem indica o próprio cerimonial e pasmem!!!! 

Por essas e outras, desde o primeiro casamento juntas, sempre foi tudo mega ok. Incrível, aliás, como me dou bem com aquele q entra, cuida do seu, faz bem feito, resolve suas próprias questões e não atrapalha o outro. Sem picuinha, sem vaidade besta, sem chilique, sem precisar de ninguém para resolver seus problemas. A Paula é totalmente assim! 

A vida seria bem fácil, se fosse mais repletas de Paulas. Porque, infelizmente, o q a gente mais vê por aí são umas boas d'umas pauladas! Hashtag criada: #paulasimpauladanão. 

Fotos: Léo Pedone










26 de outubro de 2016

Filtrar

"Filtrar - 1. Passar pelo filtro, escoar, cair gota a gota/ 2. Insinuar, incutir (lentamente)."

Eu daria um terceiro conceito. Diria que q filtrar é a missão q temos diante do mundo tecnológico. Se tem um ponto complicado de lidar são internet e redes sociais. Noivas e internet, precisamente, são a minha dificuldade. Recentemente, acrescenta-se a dupla dinâmica noiva e grupos de wpp.

Eu me recuso a depreciar a tecnologia. Acho q aproxima, facilita, só tenho elogios. Apenas acho que precisamos de um cuidado gigante com o que lemos e escolhemos p nossa vida. Filtrar, cercando por todos os lados. Q interesse há por trás da blogueira q escreve? O site q elege os 10 mais, qual critério, quem disse, quem avaliou, q retorno isso traz? O profissional que a grande maioria não conhece, mas que tem um site liiiiiiiiiindo! A imagem comprada, valendo mais que mil palavras. A perfeição q eu vi ali é perfeita mesmo na realidade? O nome q outra noiva lançou no grupo, qts casamentos a noiva já viveu com esse nome prestando serviço, como são os bastidores desse prestador, será q a noiva sabe, essa noiva já se casou ou ela apenas contratou e, por ser sua escolha, faz sentido evangelizar aquilo q nem conheceu ainda?

Eu mesma, auto-avaliação, vamos lá: o q eu ganho, dizendo isso? Certamente, um monte de antipatia, seja da noiva q lançou o nome, do prestador do site lindo, da blogueira ou do formador de opinião top 10. Ganho a cara exposta, pronta p ser estapeada. Ok! Mas, ganho tb um pouco de atenção. Q seja de uma só noiva, apenas uma, já vale a postagem. Uma q repense, tipo: "- Será? Xô avaliar melhor isso ak". Ganho a tranquilidade de servir, pq minha escolha é servir, ser serviçal da minha noiva, fazer da causa dela a minha, ser seus olhos no projeto casamento. Por isso q eu não posso ganhar comissão! Por isso, q preciso ser imparcial no meu mundo com fornecedores e extremamente parcial no abraço à causa.

Filtrem, minhas noivas, filtrem muito, filtrem sim, filtrem bastante! Por trás de cada assunto, há um leque imenso de fatores q vcs precisam avaliar com cautela. Preços, nomes, bagagem, respeito de mercado, julgamento de competência variam por razões diversas. O bonzinho nem sempre está associado à melhor capacidade profissional e vice-versa, o mauzinho não necessariamente é incompetente - me refiro à simpatia ao dividir bom e mau. E digo mais: o q é bom para vc como noiva pode não ser tão bom assim ao colega prestador de serviço. Afinal, o bom para vc terá a CHATA MISSÃO de fazer cumprir cada vírgula q lhe foi prometida e, ser cobrado, é algo q a natureza humana tende a repelir, a se incomodar. Por isso que, em minha opinião, os melhores do mercado são aqueles que não me exigem sequer uma palavra de cobrança. Ele traz tudo pronto e exato dentro do q foi prometido e acordado. Dane-se, se ele é o simpatiquinho ou o não! Ele é competente! E eu quero é ver minha noiva recebendo o serviço perfeito, isso sim!!!!


20 de outubro de 2016

Carina e André

Eu me lembro, como se fosse hoje. Meados de 2015, festa bombando, uma moça bonita e sorridente me chama e pergunta o nome do cerimonial. Diz q a festa está ótima e que ela tb era noiva. Entreguei o cartão, agradeci, feliz da vida, e, na semana seguinte, lá estava ela. Nada como uma noiva que surgiu por viver um casamento nosso.

Qd ela chegou, veio tão pronta. Foi leve, o papo fluiu, ela me pareceu segura e ganhei o presente de Fabricar seu casamento. Mais tarde, conheci André, q super participou dos preparativos, acompanhou na reunião final, até de decoração, acreditem!!!! Estavam felizes e mega animados. Minha super queridoca Carina, a noiva q sumia e eu corria atrás p saber se estava tudo bem. Rimos juntos qd André contou q ela estava diferente às vésperas do casamento. Mal sabe ele o q é noiva impaciente. Dividimos bons instantes! Coisa marlindavida de um cerimonial é compartilhar alegria e não me refiro só ao dia, são os encontros prévios, são os zaps, são as histórias vividas em cada passo. A construção de uma relação. O carinho que permanece. Senti intensamente por eles.

Agora, impossível finalizar o post sem o comentário delicioso do big day. Tive muita festa boa recentemente. Aliás, se tem uma coisa q vivo é festa boa, graças a Deus!!!!!!!!!! Minhas noivas arraaaasam, foi mal, outras noivas, as minhas arrasam super (credo, fui meio chata, mas é um orgulho q dá... #amo!). Carina e André, claro q arrasaram tb. Nem é esse o principal comentário. O tema é o tanto que eles transpiravam felicidade naquele dia. Sério! Foram, sem sombra de dúvida, o casal mais feliz do ano, genuinamente plenos, cheio de sorrisos, de expressões contagiantes, semblante de pura alegria. Se me pedissem para escolher um dia a ser vivido de novo neste 2016 (árduo 2016), certamente, Carina e André, eu escolheria o grande e único dia do casamento de vocês. Foi luz a todos nós que ali estivemos! Quanto sabor de quero mais! Obrigada por oferecer sua melhor energia. Certeza de q contagiou a todos!!!! Teve muito, muito bom!!!!!

Fotos: W Gontijo
































10 de outubro de 2016

Michelle e Raphael

Eles são tão legais! Desde o primeiro encontro, minha sensação sempre foi essa. Como são bacanas! Q simpatia! Q amor! Q tudo! Q lindos! Q casal! 

Se tem uma coisa q gosto nas postagens é a oportunidade de lançar meu olhar sobre o outro. Com tantas câmeras em nós mesmos, os famosos selfies nossos de cada dia, o caminho de antigamente. Lentes e câmeras no outro. Adoro isso! Especialmente com alguns "outros" especiais q cruzam nosso caminho. Focar naqueles que me alimentam, me trazem cores e sabores diversos, me iluminam. Vida que me presenteia com a doçura, delicadeza e beleza da Michelle. E  do Raphael, q não fica atrás. A moça grande, do tamanho do bem estar q sua presença nos traz. O jeito tímido, quietinho, acalmando o coração, desacelerando quem precisa de um pouco de serenidade e leveza (eu, presente! Obg, Mi!). Chegou e ficou! Veio para permanecer. Sim, eu precisava deles, o destino logo entendeu e os trouxe para mim.

Adoro quando o silêncio consegue contar a mensagem. Ao lado deles, essas palavras me vinham em mente - silêncio, paz, calma, quietude, pausa. Reconhecia cada uma delas a cada contato e entendia o quanto isso me nutria, o quanto eles tinham o poder de renovar minha energia. O famoso calor humano! Sim, eles têm a oferecer e muito. Calor que aconselho a disseminarem o tempo todo.

Minha doce princesa, Michelle, que alegria nossos destinos se cruzarem, q caminhada mais deliciosa e inesquecível! Raphael, obrigada por seu sim, fundamental à permanência desde aquela primeira reunião, até hj! Que vcs sejam eternos na convivência. Porque a luz q me trouxeram, ah, essa eu não quero perder nunca! Obrigada por cada instante, especialmente por um fim de setembro muito feliz!!!! Dizia a canção: "Quando entrar setembro". Mal sabia, o qt seria lindo, "Qd deixar setembro". Num ano pesado, um dia tão leve... por mais como esses. Por mais casais como vcs! 

Foto: Dante Borges e Jo Magalhães