19 de agosto de 2014

.

Patrícia e Carlos Frederico

Existem pessoas que trazem marcas registradas muito evidentes. Eu me lembro sempre da Pati associada a um sorrisão. Um sorriso leve e espontâneo, bem característico do bom humor. E vou contar uma coisa, se tem um trem que eu admiro é bom humor. Em todos os contatos que tive com ela, a história se repetia deliciosamente. Aquele constante bom humor, numa linearidade de dar gosto!

Comentei com a Pati que, depois do casamento dela, eu seria outra. Difícil mudar do dia para a noite, mas adoro quando o outro me obriga a ser mais leve. Pati me trouxe leveza. Ou seria Pati me trouxe à leveza? Talvez ambos! Isso é tão bom, perceber que regras quebradas não significa incompetência minha, pode ser apenas escolha da noiva e a escolha é um direito a ser respeitado. Perceber, ainda, que, antes e mais importante que tudo, houve uma escolha primeira a todos os outros fatos, a escolha mais linda, a escolha que mais me fez feliz na caminhada, a base da história - a escolha da Pati ao me deixar ser sua cerimonialista. Pensar nisso tudo me amadureceu. Teceu uma teia que se ligava por fatos diversos a um núcleo principal que foi nosso encontro de vida. Que me fez tão bem! Que me faz tão bem!

Pati, adoro seu sorriso, adoro sua fé, adoro seu jeito manso e carinhoso, adoro saber que trabalhei meus paradigmas por lições aprendidas ao seu lado. Fred e Pati, teve bom!!!

Fotos: Namour